Apresentação

O Estatuto e o Regimento Geral da UFBA, revistos em 2010 pelo Conselho Universitário, criaram os órgãos estruturantes, entre eles o Sistema Universitário de Bibliotecas – SIBI – subordinado à Reitoria, com a finalidade de articular, coordenar, promover, superintender e fiscalizar o funcionamento sistêmico das bibliotecas da UFBA. Visa promover o acesso e uso da informação, contribuindo para o desenvolvimento do ensino, da pesquisa, da criação, da inovação e da extensão.

Tais decisões modificam a Resolução Nº 03/2009 do CONSUNI, que criou o Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal da Bahia (SIBI/UFBA), na condição de Órgão Suplementar. Na altura, foi assim pensado para conduzir de forma coordenada o desenvolvimento das atividades fins das bibliotecas da UFBA, concretizando a reivindicação da categoria bibliotecária, ao entender que as bibliotecas tratadas de forma sistêmica fortalecem a missão de promover e disseminar o acesso à informação, em apoio àquelas atividades já referidas.

A consolidação do SIBI favorece à comunidade UFBA compartilhando recursos informacionais, na medida em que é responsável pelos serviços de aquisição de acervo, tratamento da informação e normatização de serviços centralizados e, consequentemente, padronizados, facilitando o acesso ao acervo geral da Universidade, a consulta e o empréstimo entre as bibliotecas. O acervo eletrônico adquirido é outro avanço que se destaca na contemporaneidade e que o Sistema acompanha.

Ao adotar o Sistema Pergamum para tratamento e organização da informação, o SIBI promoveu um grande passo no apoio à pesquisa, à criação e à inovação, através do compartilhamento e da possibilidade maior – e mais célere – de acesso à informação de forma virtual aos pesquisadores, discentes e docentes da UFBA, assim como de outros grupos sociais.

No que se refere a fontes virtuais, o SIBI, como responsável pela gestão da informação e preservação da memória da UFBA, organiza e cuida dos acervos científico, artístico e cultural hospedados, nas bases de dados do Repositório Institucional e do Portal de Periódicos da UFBA, além de gerenciar a ferramenta SEER, software que permite a criação de periódicos eletrônicos pelas Unidades Acadêmicas e Administrativas da UFBA. Com a finalidade de democratizar o acesso e uso de diferentes bases de dados nacionais ou estrangeiras, o SIBI orienta usuários à pesquisa, à identificação e ao levantamento de informações no Portal de Periódicos CAPES.

O contato com a sociedade externa dá-se através do Projeto Dom Quixote: biblioteca andante, que, inserindo-se na ótica dos Novos Movimentos Sociais, visa contribuir para a redução das desigualdades vigentes historicamente. Desde 2008, o Dom Quixote atua em bibliotecas comunitárias, escolas públicas e outras entidades, desenvolvendo atividades educativas – em sentido amplo – dentro de uma perspectiva crítica, de construção da autonomia e de humanização. É um trabalho de socialização e integração do SIBI/UFBA com a sociedade externa, ou extramuros.

Em 2015, foi criada em sua estrutura a coordenação LUGARES DE MEMÓRIA constituída pelo Núcleo de Estudos Baianos, formado pelas coleções: Frederico Edelweiss (1974), Cícero Dantas (1981), Pinto de Aguiar (1983), José Calasans (1983), Carlos Ott (1997), Luís Henrique Dias Tavares (2008), Consuelo Pondé de Sena (2016) e Núcleo Memorial UFBA formado por acervos de professores desta Universidade e de personalidades baianas, depósito obrigatório de publicações da Editora da UFBA, acervo de teses e dissertações, fotografias e objetos que contam a história da Universidade. Também nesse espaço está instalado o Núcleo de Arquivos Históricos, que mantém acervos relativos à História da música, na Bahia(ADHON); das Lutas Políticas, no período da Ditadura Militar; documentos de Arquivos Pessoais de estudiosos da cultura baiana e Arquivos Institucionais, que retratam a História política e social da Bahia.

Assim, o conjunto documental da UFBA, formado de bens materiais e imateriais, custodiado pelo SIBI, é organizado, divulgado, disponibilizado, e preservado através das bases de dados administradas ou desenvolvidas pelo Sistema Universitário de Bibliotecas – SIBI/UFBA, permitindo avanços na pesquisa, na criação e na inovação, contribuindo para conquistas nas áreas sócio culturais, na ciência e tecnologia.

No Congresso da UFBA, em 2016, quando esta antiga e moderna Universidade completa 70 anos, o SIBI participa com a mesa redonda Memória, Preservação e Esquecimento.

Salvador, 02 de julho de 2016.

Lidia Brandão Toutain

Superintendente SIBI/UFBA